Mesmo com bons salários, falta mão de obra de TI em Ouro Preto

Mesmo com bons salários, falta mão de obra de TI em Ouro Preto

Apesar da pandemia, segundo um levantamento feito pela empresa de recrutamento GeekHunter, em 2020 o número de vagas abertas no segmento de TI cresceu 310%. Foram milhões de pessoas especializadas contratadas, indo na contramão dos mais de 14 milhões de desempregados no país.

Todo esse cenário de otimismo e tração de mercado também ocorreu em Ouro Preto e região, onde empresas de base tecnológica e startups conseguiram melhorar seus números mesmo com os impactos causados pela onda do novo coronavírus. 

No entanto, ainda que diversas vagas tenham sido abertas — e com o salário médio acima do praticado na capital—, o fato é que os empresários apontam as dificuldades de se contratar bons profissionais de tecnologia na região histórica de Minas Gerais.

O mercado de TI conseguiu crescer mesmo com a pandemia

De acordo com uma matéria publicada pela CNN Brasil, no ano passado, enquanto o número de empregos no país caiu cerca de 2,3% no primeiro semestre em comparação com o mesmo período de 2019, as vagas de TI aumentaram em 1,18%, o que significa cerca de 14 mil postos de trabalho.

 

Ao todo, o mercado de desenvolvimento de tecnologia conta com mais de 1 milhão e meio de vagas, movimenta bilhões de dólares na economia e representa quase 7% do PIB brasileiro.

Ainda que não tenhamos dados oficiais sobre o impacto do setor de tecnologia em Ouro Preto, em entrevistas com empresários feitas em 2021 pelo Valin, foi observada a manutenção das vagas ou, na maior parte dos casos, aumento de contratações em todas as empresas de base tecnológica da região, seguindo a tendência do restante do país.

Porém, estes dados animadores vem acompanhados de outros mais preocupantes, relacionados à dificuldade de se encontrar mão de obra especializada em Ouro Preto.

Falta de mão de obra especializada em Ouro Preto

Mesmo com salários que vão de 6.000 a 12.000 reais, a Gerencianet, uma das maiores empresas de tecnologia de Ouro Preto, têm dificuldades para encontrar mão de obra local.

Vagas como as de Engenheiro(a) de Software, Analista de Marketing, UX Writer e outras estão abertas há meses e costumeiramente os recrutadores precisam buscar na capital os profissionais capazes de ocupá-las. E não é só a GN que apresenta essa dificuldade.

Marcas relacionadas ao segmento de hardware, como a CMT, também encontram dificuldades em encontrar especialistas em Mariana e Ouro Preto, mesmo oferecendo bons salários e benefícios.

Em 2017, os profissionais contratados em áreas de tecnologia em Ouro Preto receberam um salário médio de cerca de R$ 4.500, 2100 reais a mais do que a média da mão de obra contratada pela indústria tradicional

dados retirados da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais)

Os principais motivos para essa dificuldade de contratação local tem a ver com a baixa profissionalização da mão de obra local, a falta de experiência no mercado e até mesmo a dificuldade em manter os profissionais na região por conta dos altos preços dos aluguéis

Entenda melhor quais são os profissionais de TI

O setor de tecnologia é hoje um dos que mais cresce no Brasil e no mundo, é o que indicam os dados do Banco Mundial, que aponta que até 2024 haverá a criação de novas 420 mil vagas na área de Tecnologia da Informação.

No entanto, a falta de profissionais na área pode ser vista em todo lugar, principalmente aqui no país, onde o déficit é de aproximadamente 200 mil vagas, podendo chegar a até 620 mil em 2024.

Para entender melhor quais são essas profissões que hoje estão em falta no Brasil e, principalmente, em Ouro Preto e Mariana, aqui vai uma lista:

  • Cientista de Dados
  • Gestor (a) de TI
  • Desenvolvimento de Software
  • Gestor de Qualidade de Software
  • Web Designer
  • UX designer
  • Arquiteto (a) de informação
  • Administração de Redes
  • Analista de Business Intelligence
  • Arquiteto Java
  • Especialista em Google Ads Google Partner

Governos municipais não entendem o setor de TI

Ainda que Ouro Preto tenha uma Lei Municipal de Incentivo à inovação, o ponto observado é que ela pouco ajudou na atração de novas empresas para a cidade, além de não se mostrar suficiente para impactar na qualificação da mão de obra local ou no aumento de investimentos no município.

Em Mariana, um projeto de política de inovação foi apresentado para a prefeitura por integrantes do Valin em 2020, porém, jamais foi colocado em votação.

Projetos como o Desafio Minerall, promovido pela Samarco, com foco no segmento de Miningtech, são alguns dos que incentivam a criação de startups e empresas de base tecnológica na região, porém, não são o suficiente para segurar os projetos nas cidades por falta de mecanismos e pessoas que entendam o mercado de inovação dentro das prefeituras.

Fomento ao mercado de trabalho de tecnologia em Ouro Preto

Apesar dos problemas encontrados no mercado de trabalho de tecnologia do interior de Minas, o fato é que podemos, hoje, vislumbrar algumas saídas para eles.

Vamos pegar o exemplo das vagas para ux ui designer aqui da região.

Para quem não sabe, Ux designer é aquela pessoa que trabalha buscando proporcionar a melhor experiência dos usuários com uma plataforma digital. Já o UI designer é aquele que faz o desenho dessa plataforma, tendo uma ligação mais direta com o design gráfico, enquanto o UX designer vai além, precisando entender de programação, escrita para a web e outros campos de TI.

Agora, sabe quanto ganha um ux designer em Ouro Preto ou Mariana? Cerca de R$ 4.500. Uma média maior do que a praticada na capital, Belo Horizonte, e que, hoje, tem visto um grande aumento de profissionais da área surgindo na própria região, com capacidade de ocupar essas vagas.

Além de vários eventos ligados à user experience (UX) terem sido realizados na região, grupos de discussão sobre o assunto foram montados nas universidades, além do fato de que tanto empresas locais quanto até mesmo a Prefeitura de Ouro Preto, começaram a colocar o conhecimento a respeito de UX como sendo necessário na hora da contratação de mão de obra.

Vídeo gravado na Gerencianet durante a edição 2020 do evento WIAD, realizado pelo Valin, falando sobre UX design e seus impactos nos números de uma empresa


Todos estes movimentos fizeram com que mais pessoas se interessassem pelo tema e buscassem conhecê-lo para atender as necessidades do mercado de ux local, que só pode ser fomentado quando negócios e entidades da região viram a necessidade de atingir um mercado ou público maior do que o local, que, por si só não seria suficiente para demandar esse tipo de profissional.

Ainda que Ouro Preto conte com a presença da comunidade de inovação mais promissora de Minas e existam diversos motivos para se investir em tecnologia na cidade, o fato é que precisamos criar mecanismos para diversificar e aumentar a mão de obra de TI na região. 

Os governos locais precisam ver na tecnologia e na transformação digital o principal caminho para superar os impactos da pandemia e de quebra diversificar sua economia. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo